Empreendedores fortalecem negócios locais e fomentam a economia na foz do rio Doce

Moradores e empreendedores de Linhares (sede), Regência e Povoação, na foz do rio Doce, estão se qualificando para alavancar e criar novos negócios nos distritos impactados pelo rompimento da barragem de Fundão. Cursos de qualificação, assessorias técnicas, consultoria, intercâmbio de experiências e participação em eventos estão entre as principais ações desenvolvidas para a retomada da economia local.

Já foram desembolsados cerca de R$ 4 milhões nas iniciativas na foz, por meio do Programa de Economia e Inovação da Fundação Renova, que estão diversificando a economia e fortalecendo o empreendedorismo local. Mais de 700 pessoas participaram das ações, entre moradores, empreendedores do ramo de artesanato, pesca e donos de restaurantes, pousadas, camping e espaço de eventos, o que fortalece a vocação turística da região.

Esse é o caso dos grupos de artesanato dos distritos, que estão recebendo acompanhamento técnico individualizado e cursos de capacitação para aprimorar a sua produção. Os artesãos também participaram de oficinas sobre temas como design, criatividade, identidade, processos, embalagens, gestão de preços e vendas. Agora, 21 artesãos estão recebendo consultoria individualizada. Eles são orientados sobre como melhorar o design dos produtos, formar o preço e a gerir a produção de acordo com os mercados que pretendem alcançar.

Atualmente, o grupo está produzindo uma coleção chamada “O rio Doce continua vivo”, que será apresentada na feira de artesanato ArteSanto, que acontece em Vitória (ES), em novembro. “Os artesãos têm a possibilidade de alcançar outros mercados, o que demanda design e melhoria na produção, pois as exigências são bem maiores. Nosso objetivo é trabalhar com cada artesão, potencializando suas habilidades e a produção”, explica a consultora Christine Reuter, que conduz os trabalhos.

A artesã Nancy Costa Penha, de Povoação, conta que a consultoria está ajudando o grupo de bordadeiras da comunidade. “Esse acompanhamento individualizado está sendo muito bom. Recebemos sugestões que nos ensinam a aproveitar melhor os materiais, dicas de acabamento, para tornar nosso artesanato melhor”, afirma.

Expedição de conhecimento

Outra importante inciativa para fomentar a economia local é realizada com empreendedores ligados ao turismo. Em maio deste ano, 18 representantes das comunidades, entre comerciantes, pescadores e artesãos, realizaram uma expedição aos Estados do Piauí e Maranhão. Os destinos foram escolhidos por suas características geográficas, como proximidade com o mar e o rio, e potencialidades de fomento ao turismo. Agora, depois da experiência, eles se uniram e estão elaborando um projeto para ser implementado na região da foz.

Proprietário de uma pousada em Regência, Rodrigo Bezerra participou do intercâmbio e destaca que a viagem permitiu perceber que é possível dar a volta por cima e tornar o turismo da foz muito melhor. “Foi muito importante para despertar em nós a motivação para transformar nossas potencialidades em atrativos turísticos. Vimos que é possível integrar as comunidades para criar uma rota e ainda desenvolver mais atividades no rio Doce. Estamos nos reunindo periodicamente e pretendemos fechar neste mês (setembro) um projeto com novas iniciativas para incentivar o turismo”, ressalta Rodrigo.

“O apoio a esses grupos é fundamental para o processo de retomada dos negócios impactados e criação de novas oportunidades, gerando renda e movimentando e economia local”, destaca Kadio Serge Aristide, analista de Programas Socioeconômicos da Fundação Renova.

Deixe uma resposta